26 de ago de 2010

MÃOS DADAS

Foi me concedido o dom de modelar estrela
Viajo pelo espaço sem roupa de astronauta
De nada vale ser um anjo sem o amor dela
Estou tonto, na imensidão da plena falta

Estou pregado,a dor crava minhas mãos
Uma coroa de espinho sangra meu coração
Ao meu lado a saudade e a solidão
A primeira de mim pede a benção
A segunda zomba da paixão

Começo a não querer existir e de tudo esquecer
Não nasci para o amor, sou desconhecedor do seu rosto
De suas alegrias, experimentei seus doces desgostos
Fiz de mim mesmo um anjo que morreu antes de nascer

Não posso amar a mim mesmo, não conheceu o amor o profeta da lei
Não se resume o que a alma almeja em apenas um mandamento
Revelação do céu foi sua desculpa, não queria pra si o pecado do sofrimento
Culpar um Deus é mais fácil, do que ser egoísta e admiti um dia eu amei..

2 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
ANJOS NAO CHORAM




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

Florzinha disse...

A cada dia mais sou sua fã...
Lindas palavras..Sensibilidade incontida...

Template by:

Free Blog Templates