27 de nov de 2010

A vida está lenta

Eu não ouço mais a nossa trilha sonora.
Aconteceu tudo tão rápido.
E o tempo, nem percebi que passou.

Te perdi de vez agora.
Não me lembro do seu rosto.
E nada mais me faz rir.
Isso não é bom.

Estou sozinha em um mundo que não se sobrevive só.
Acabou os planos.
Acabou os sonhos.
Até as lembranças não estão mais aqui.

25 de nov de 2010

SONHADOR

Onde está aquele rosto que algum tempo existia em mim,perdi meu sorriso entre outros sorrisos,tudo neste instante é apenas um lapso do meu cérebro que se sacia em ilusões.Que tamanho vazio é este que me engole,que puxa meus pés em direção deste nada chamado eu,já não acredito em milagres,há muito tempo deixei de acreditar também em sonhos.Sonhador!! Fui um eterno sonhador,acreditei em finais felizes,em palavras recheadas de mentiras..Não sou tão ingênuo assim,porventura apenas não enxerguei ou não quis enxergar o lado obscuro da paixão,que envolveu todo meu ser,me fez viver no mundo das sombras..Quero dormir e não receber sua visita,por quer me atormenta desta forma?
Fui por um segundo uma outra pessoa,um homem que eu mesmo não conhecia,que se fez diferente diante do teu olhar,que buscou na pureza dos sentimentos a versão ainda inédita do Amor..Preciso tanto de você,meu andar é torto,meu lado direito pesa uma tonelada,só quero um abraço seu saber que vivo e que o mundo que vejo através da janela realmente existe,que lá fora neste momento as nuvens que se movimenta anuncia que o tempo foge da razão..Não quero calar o que sinto,seria perversidade e loucura,por isso sussurro e peço que ao sentir o silêncio você possa ouvir minha voz,que mesmo envolta em soluços e lágrima tem a força de dizer seu nome..

                                                                                         Ronaldo Fernandes

20 de nov de 2010

Saudosa querida


Eu a via como um ser diferente, a parte desse mundo obscuro onde somos obrigados a vagar por entre ruas e avenidas, afogando-se na mesa de um bar tentando escapar do óbvio à custa do previsível.
Ela era uma alma errante, buscando qualquer coisa que a tornasse edificante, sem se importar na verdade, com tudo que aos olhos de todos, parecesse importante.
Eu a queria por perto. Tinha a louca necessidade de alimentar-me das fraquezas dela. Havia em sua angustia disfarçada, uma luz contida, quase engarrafada nas lentes do seu olhar. E isso quase me cegava. Era algo guardado, revelado em oração, uma oração solitária, perdida em um circulo composto por seu corpo trêmulo de receios e suas tantas outras faces que viviam, amavam, e pecavam sem nenhum rodeio.
Ao passar pelas ruas, dedos em riste eram flechas de acusações... E ela sorria! Sentia-se livre, diferente dos demais, e sabia que em suas transgressões pecaminosas, era quase santo ser livre pra viver assim.
Muito se pensava saber sobre a vida dela, mas as pessoas confundem-se ao pensar que conhecer seus passos, seria o mesmo que revelar o conteúdo de sua alma. Seus sentimentos e emoções eram uma incógnita. Menos pra mim. Eu conhecia suas razões, eu sofria com suas buscas sem fim, eu estava lá... Ela era uma parte muito profunda de mim. Mas ela era a alegria de viver, enquanto eu era apenas um rosto triste na janela que nunca mostrou a ponta do dedo quando ela passava. Enquanto alguns a julgavam, eu a idolatrava. Talvez por que nunca soube ser livre assim.
Mas em algum momento, houve um descuido, um engano, uma placa errada na contramão. Os ventos a giraram talvez! Um caminho escolhido por não perceber a existência de outra direção. Ela sentia que alguma coisa não estava em seu devido lugar, mas acostumada a arriscar, seguiu o cheiro de uma nova emoção. Eu pude vê-la até o inicio daquele percurso, mas ela desapareceu no horizonte e por mais que tenha tentado, não a pude mais com os meus olhos alcançar.
Muito se fala por aqui. Alguns dizem que se perdeu no caminho e deve mesmo ter se transformado em mais uma vitima da cruel sociedade. Outros acreditam que possa ter criado juízo e ter virado mulher direita.
Quanto a mim, lembro daquela querida com uma saudade que me arranca a emoção e me leva as lágrimas. Sua essência virou tatuagem em meu olhar. Eu a queria perto de mim porque a coragem dela me despertava inveja, me encantava e me iludia. Prefiro acreditar que conseguiu.... Conseguiu novas emoções, grandes histórias e que ainda faz muito marmanjo rogar a Deus para prendê-la em seus corações.  Coisa que julgo utopia. Ainda lembro do seu sorriso generoso, tão contagioso que eu nem precisava saber do que se tratava... Eu apenas sorria junto. Ela sabia meu nome, e às vezes, fingia ser eu. Sorria... Na verdade, ela gargalhava com a possibilidade de se ver tão fora de si, tão diferente do que a fazia feliz. Em muitos de seus momentos, eu fui apenas um rosto infeliz na janela. Pra minha alegria deprimente, nunca precisei lidar com os erros dela, e pra minha tristeza, provavelmente, também nunca irei descobrir o que a deixava tão radiante.
Continuo aqui na mesma janela, e já não há nada de tão interessante pra ser visto há muito tempo. Apenas as vidas de sempre dentro de sua repetitiva, correta e limitada visão. Porém feliz... É o que dizem. Só sei de mim. Mas ela deve saber do mundo! Nos meus momentos nostálgicos, quando lembro da sensação de me imaginar livre como  ela, me encontro angustiada, pedindo por uma certeza de seus passos já sem rastros pra mim.Ah, saudosa parte de mim, dê-me ao menos o prazer de crer que tudo valeu pena e que ainda és feliz. Deixe-me saber que tua vida foi, é, e será tudo o que você sempre quis. 

Gil Façanha

Humano X Homofobia



Hoje assistindo ao jornal, infelizmente pude ver mais um caso de homofobia. Mais um grupo de jovens alienados que se sentem agredidos pela diversidade sexual e agem fora do normal.
Desculpem, agora não deu pra calar. Onde afinal vamos parar?
Não temos mais direito de escolhas, precisamos agir iguais, sem direito de sermos reais.
Somos o que somos e todas as nossas escolhas trazem somente a nós, o que há de bom e de ruim... Desculpem se não calo vendo esse absurdo diante de mim.
Fico enojada com tanta hipocrisia, com tanta ausência de uma boa educação social. Afinal de contas, criamos um um ser humano ou adestramos um animal?
Me pergunto se essa ausência de bom senso se reflete dentro do próprio lar,
E quando lembro do que andam fazendo das famílias, me pergunto de novo aonde vamos mesmo parar.
A sociedade está aos gritos, pessoas precisando se esconder. Apenas devido ao nojento preconceito, parece proibido ser o que se deseja ser.
Diante de tanta intolerância, violência gratuita, comportamento surreal, acho incrível que esses loucos não se perguntem, quem está mesmo vivendo fora do ideal.



Gil Façanha

16 de nov de 2010

Expressivo Amor

Poderia ser uma pintura,com cores
abstratas,amarelo,verde e cinza,quem sabe uma obra de Picasso,um
violoncelo que tocasse os mais belos concertos espirituais,Dó,Sol Ré e
Lá..Me faria um vitral Bizantino pequenos pedaços de vidros,trabalhado a
mão por um pobre monge.Um poema pedido entre ruínas do Mar morto que
faz o velho beduíno chorar..Posso ser o que de mais belo existir,pois
jamais seus olhos se aproximariam pra me contemplar,tamparia seus
ouvidos e se quer de mim degustaria a menor nota,jogaria pedras e do meu
coração faria mil pedaços de cristais brilhantes.Não entenderia o poema
dito em nenhuma outra língua,simplesmente pois nunca me amou,pois não
sabe a arte do Ama..

Amor, amor


O amor é a música que toca durante o beijo,
É aquele olhar que diz três palavrinhas mágicas.
Amor é um sentimento sem explicação.
é grande, imenso, profundo, totalmente intenso.
  
Amar é olhar pro lado e se sentir feliz.
Amar é está junto mesmo estando tão longe.
Amar é saber que os defeitos são as melhores qualidades de quem se ama.

Amor...
É o encanto de dois apaixonados
Amor é amar.
Simplesmente amar.

14 de nov de 2010

Déjà vu Amor

Nego-me a te esquecer,destruo dos meus pensamentos um lugar onde você não pode está..Permito-me lhe buscar,construo estórias de entulhos pensantes,não conheço o distante,nem apego a memórias vãs..Tu és contato intimo,arrepiante tato que percorre meu corpo em secretos devaneios..Grito meu silêncio,tu és voz,melodia e liberdade que tanto preciso para voar.Suas digitais escreveram em minha epiderme uma tatuagem viva de cores místicas,que agora chora,um Anjo tatuado que escorre lágrimas vermelhas,um Anjo estigmatizado no dorso do meu tórax,no lado direito que um dia lhe pertenceu que hoje existe um imenso vazio.

11 de nov de 2010

Charles Bukowski - Bluebird

8 de nov de 2010

AMO VOCÊ

Sem saber conheço cada parte de sua alma,sem que saibas você me ama intensamente,sem que ao menos note,cada pensamento seu é lá que eu habito.Quando suspira e sua respiração provoca aquela névoa no frio e embasa a janela do seu quarto é a letra do meu nome que seus dedos escrevem..Quando diz que está apaixonada por outro,na verdade seu coração diz que ele não é seu grande amor,ao dizer alô seus lábios ensaiavam por horas,que estava morrendo de saudades.Quando a noite chega,sou eu que salpico o céu com pequenos pingos de orvalho tu sabes reconhece o desenho que fiz..Conheço seu coração tão intimamente que o tenho entre os meus dedos..Quando me olhas e diz que não quer me magoar,não percebes que algumas letras se misturaram na palavra amar e a frase não se fez perfeita..Te amo e isso você sabe em toda sua forma,tonalidade,percepção e ação..Nunca vou esconder o que guardei um vida inteira para lhe dar,subirei até o topo do céu  e lá perto dos anjos gritar ao mundo todo você é minha felicidade..

6 de nov de 2010

DIMENSÕES

Quem poderá uma máquina do tempo me emprestar,quero voltar ao passado buscar nas poucas lembranças da minha mente,aquele momento..Na viajem do tempo,existe uma lacuna não preenchida,há no espaço pequenas partículas que juntas formam apenas uma foto,um instante perdido em alguma dimensão..O presente é tão vazio e o futuro ainda mais cheio deste vazio, a distância entre nossos mundos é tão pequena,não medida em ano-luz,o que nos separa é apenas uma palavra dita por seus lábios..
Não te encontro mais dentro de mim,cada parte da minha alma,cada célula do meu corpo,não encontro nenhum vestígio de ti..Aqui fora o que vejo é um Seara vasto e deserto,onde a solidão sedenta se delicia das minhas lágrimas e a dor se aloja na sombra em que meu coração cansado descansa..
O que bate em meu peito não é se parece com um coração é algo mecânico como um relógio de bolso,que parou na hora que te conheci e no exato minuto que te beijei e triste segundo que te perdi..
Entrego em sua mãos meu sono,mas nunca meu sonho,ainda me resta esta invenção que minha alma criou,que nas noites de chuva me traz você...

2 de nov de 2010

Sinais...

Do meu esconderijo recolho meus desejos,fecho as janelas e não deixo o sol entrar..O meu caderno faltam folhas,nada que escrevo é realmente o que sinto..Em cada folha fica o rascunho como em madeira talhada,uma sobre a outra..Tudo em mim foi por este mundo em uma grande viajem..Olho ao meu redor e vejo gavetas desarrumadas,vestígios de que um dia houve uma moradora,houve com quem eu pudesse confidenciar segredos,segredos estes que eu mesmo nem sabia que eram segredos ..Meus medos fogem de mim,a idolatria de um coração é agora o reverso de suplicas inventadas.
O que tenho agora dentro de mim além do gosto de sua saliva é um amontoado de lembranças que a persiana do meu quarto faz questão de criar um clima de suspense,deve ser pelo batimento e abatimento do meu coração..Estou em construção,ainda tenho rachaduras que talvez uma mão de tinta e uma demão de uma afeto qualquer faça da minha fachada algo novo de se apreciar..Quando penso em você,ainda tenho abalos sísmico,de uma escala chego ao dez-espero que tudo se acalme,que tudo permaneça como uma grande casa vazia e mesmo que eu grite,ninguém me ouvirá,nem eu mesmo ouvirei pois neste dia eu não estarei aqui,estarei a te procurar sem sabe onde você está... 

Template by:

Free Blog Templates