24 de ago de 2011

Borboletas


Palavras nascem da boca assim como uma borboleta de seu casulo,por um certo tempo sua beleza fica envolta no silêncio da noite,consumida pelo frio da madrugada,pelo sereno primaveril.Mas é chegada a hora em que a palavra,guiada pela luz,abre suas asas multicoloridas,o movimentar do falar se mistura com o vento,enfim a palavra aprisionada se faz vida,colorindo cada alma,cada coração.Levando consigo o perfume do amor,da amizade e carinho.Quando se aprisiona uma borboleta ela morre com a palavra não dita,diante ao um rosto com lágrimas.De um coração cheio de dor,não faz morrer,,mas se fechar em um casulo..Em que nada se espera nascer..Do que adianta um jardim de sentimentos se não há o que pousar nele,se não existe quem o visite em todas as manhãs de setembro.Faça da palavra amar uma boboleta que todos os dias mude de cor e seja eternamente livre....


"amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga ideia de paraiso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não doi."

"Cazuza" 

0 comentários:

Template by:

Free Blog Templates